Science Outreach Team

O J-PAS é um novo observatório astronômico dedicado a mapear o universo em 56 cores. A combinação de um telescópio dedicado, com espelho de 2,5m e um grande campo de visão, com uma câmera contendo 14 CCDs de grande formato perfazendo 1,2 Gpixels, será capaz de produzir imagens de alta qualidade e um espectro de baixa resolução para todos os objetos observados. Essa combinação de imageamento e espectroscopia vai permitir a identificação, classificação e localização de um número sem precedentes de estrelas, galáxias, quasares etc.

 

A data de início para esse mapeamento astronômico é 2013. Durante 5 a 6 anos nós vamos observar uma área de mais de 8.000 graus quadrados do céu (aproximadamente 1/5 de todo o céu), utilizando para isso um sistema de filtros com 54 filtros estreitos (de largura por volta de 100 A) e mais dois filtros largos, cobrindo toda a região visível do espectro eletromagnético (de 3.500 A a 10.000 A).

 

Um novo olhar sobre o Cosmos

O J-PAS deverá descobrir um número sem precedentes de estrelas, galáxias, quasares, supernovas e objetos do sistema solar, que serão classificados e mapeados com alta precisão. Essas observações vão gerar um legado de imagens e dados que poderão ser garimpados por astrônomos de todos os tipos e pelo público geral.

O design inovador do sistema de filtros e da câmera do J-PAS vai permitir a classificação e o mapeamento das posições de centenas de milhões de galáxias. Uma consequência direta dos espectros de baixa resolução desses objetos será a determinação do redshift (desvio para o vermelho) dessas galáxias com uma precisão de Δz ≅ 0.003 (1+z). Como resultado, teremos um mapa em 3D da distribuição de matéria no Universo, com o qual vamos buscar por evidências da ação da matéria escura e da energia escura.

 

Ciência Nova com o J-PAS

Esse mapa 3D do Cosmos, em conjunto com um dos maiores (e mais completos) catálogos de objetos astronômicos jamais coletado, vai permitir uma imensa variedade de aplicações: nós seremos capazes de enxergar em detalhe a rede de estruturas cósmicas e estudar as pistas deixadas pela energia escura na distribuição de matéria do universo; vamos determinar como as galáxias se formaram e evoluíram desde o Big Bang; vamos mapear a estrutura da nossa própria galáxia, a Via Láctea; vamos descobrir milhares de objetos que orbitam o sistema solar; e vamos descobrir milhões de quasares, assim como milhares de supernovas.

 

A colaboração internacional que está financiando, construindo e gerenciando este projeto é um Consórcio de instituições brasileiras e espanholas. O Observatório Astronômico de Javalambre será operado pela CEFCA em Teruel (Espanha), e o time de cientistas e engenheiros inclui mais de 100 pessoas do Brasil, Espanha, Estados Unidos e outros países.